23 dezembro 2006

Ladainha dos póstumos Natais

"Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que se veja à mesa o meu lugar vazio.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que me hão-de lembrar de modo menos nítido.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que só uma voz me evoque a sós consigo.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que não viva já ninguém meu conhecido.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem vivo esteja um verso deste livro.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que terei de novo o Nada a sós comigo.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem o Natal terá qualquer sentido.

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que o Nada retome a cor do Infinito.”

David Mourão-Ferreira

3 comentários:

Sandman of the Endless disse...

Ana querida,
Desejo para ti um Ano Bom repleto de saúde, paz, realizações e muito amor. Que a tua estrela brilhe sempre, cada vez mais e mais, porque você, anjo meu, merece. Um beijo grande...

Teresa disse...

Oh Ana qdo é que t dedicas a este blog de forma mais assidua????? vá lá deixa de ser preguiçosa.... lolol
Beijos enormes
E Óptimo ANO NOVO
TUDO DO MELHOR PARA TI

Ana disse...

Teresa,eu tenho andado por aqui mas... :)um grande ano para ti linda!

Sandman: muito obrigada pelos votos e tudo dobrado para ti!