13 outubro 2006

Palavras #1

"Durante alguns anos devíamos fazer uma cura de palavras e de escrita. Mudos e cegos até ficarmos curados. Há uma ténue e trágica ligação de dependência entre a vida e as palavras. É uma ponte de corda sobre um abismo. Não se pode viver sem pensar e não se pode pensar sem palavras. Mas as palavras, quando despojadas da vida, são a hemorragia, o esvaziamento da alma. A hemorragia das palavras está a perder a nossa civilização. Os homens e as sociedades estão a esvaziar-se. Vivemos uma existência anémica porque abusámos das palavras. Os discursos não param. Perdemos a nossa vida em discussões, em confissões públicas, em debates, em processos. Vai ver que vamos passar à história como a idade dos processos. Estamos a ser sangrados pelas palavras."

in Os Nós e os Laços - António Alçada Baptista

4 comentários:

Ticha disse...

É duro...

Pedro Beltrão disse...

mesmo que alguem veja um por de sol, cheire uma rosa, sinta o toque na pele e um arrepio na espinha vai querer conta-lo, partilhar esses momentos. Sem palavras estamos fechados para o mundo, deixamos de existir. Sem palavras nao estariamos aqui juntos num espaco virtual, a partilhar um momento da nossa imaginacao. Ou qq coisa lamechas assim do genero ;)
***

Ana disse...

Mas essas não são palavras "despojadas da vida", pelo contrário estão cheias dela:)

Tentini disse...

É bem verdade... Banalização!
Mais vale um toque na tua face... um sorriso... Uma lágrima... Um olhar!
Tudo tão básico mas com enorme intensidade!