22 março 2007

Gente que passa

Gente que passa e desvia o olhar. Gente que passa e faz de conta que não existo. Gente que passa e afasta de mim as crianças como se eu lhes pudesse fazer algo. Gente que passa, passa, corre, e diz que não com a cabeça, mas sempre sem olhar. Gente que passa e levanta a mão, e faz aquele trejeito do Aqui está este novamente, não se tem paz em lado nenhum. Gente que passa e continua a passar, como se eu não existisse… Gente que passa e nem é capaz de ver a beleza do que tenho nas mãos. Não estendo as mãos vazias, apenas quero trocar. E esta gente passa e não se apercebe de quão vantajosa pode ser esta troca. Amigo. Dê-me uma dessas. Quanto é? Dois euros? Aqui tem. Guarde o troco. Bonita a capa. Esta revista tem sempre fotos fabulosas. Obrigado. Ah, este parou e não passou apenas. Ainda há desses... Que frenesim de novo: gente que passa, passa e não pára, não olha, não vê tudo isto:


1 comentário:

@lguém de passagem... disse...

Os olhos… uma vez mais os olhos!

Há olhos que olham, mas sem ver...
Há olhos que desprezam sem olhar, por nem terem a coragem de VER! E quantas vezes passamos sem ver quem precisa de nós... da nossa ajuda, da nossa atenção!

O que são 2 euros para nós? O que representarão os 1,4 euros que cada vendedor da CAIS recebe por cada revista vendida? O que seria deles sem essa magnífica revista?

Sempre que posso compro a CAIS, e quantas vezes recebi em troca dos "meus 2 euros", mais do que dei... Juntamente com a revista e completamente grátis... um olhar tão terno e tão grato!