29 agosto 2008

o fantasma de Beno

Photobucket



"Mas hoje, ainda longe daquele grito, sento-me na fímbria do mar. Medito no meu regresso. Possuo para sempre tudo o que pedi. E uma abelha pousa no azul do lírio, e no cardo que sobreviveu à geada. Penso em ti. Bebo, fumo, mantenho-me atento, absorto – aqui sentado, junto à janela fechada. Ouço-te ciciar amo-te pela primeira vez, e na ténue luminosidade que se recolhe ao horizonte acaba o corpo. Recolho o mel, guardo a alegria, e digo-te baixinho:


Apaga as estrelas, vem dormir comigo no esplendor da noite do mundo que nos foge."


in Lunário - Al Berto

7 comentários:

t.o r.k.m u.r p h.y... disse...

está bonito, isto aqui... gostei muito...

Ana disse...

as portas estão sempre abertas :)

Ti disse...

não duvidem q isto é bonito... :)

Anónimo disse...

Quanto a isso, eu nao tenho dúvidas! E raramente me engano ;-) este blog é do melhor quiácá :-) um anónimo

Ana disse...

ti: :)*

anónimo: quanto ao melhor coloco todas as reservas, mas agradeço as palavras simpáticas ;)

Claudia Sousa Dias disse...

lindo...lindo...lindo...


CSD

Rui disse...

:-)
bonito...